fbpx

O objetivo final de uma empresa está no seu crescimento, uma régua pela qual se mede o alcance e impacto de seus serviços. Pensando nisso, elaboramos este conteúdo compilando as melhores dicas para aqueles que desejam, mas ainda não sabem como escalar seu negócio.

Aqui, você aprenderá o significado e a importância da escalabilidade para o sucesso de um empreendimento, conhecendo três orientações práticas e indispensáveis no preparo da sua empresa aos desafios dessa jornada. Acompanhe!

O que é um negócio escalável?

A escalabilidade é um conceito administrativo usado para identificar as oportunidades de que um negócio aumente o faturamento, sem que precise alavancar seus custos operacionais em igual medida. Ou seja: a arte de fazer mais, com menos!

Então, podemos resumir que um empreendimento escalável é aquele que consegue aumentar sua produtividade, alcance e receita sem aumentar os gastos. Na maioria dos casos, a escalabilidade é atingida por conta de boas redes de relacionamento e decisões gerenciais bem acertadas.

Além disso, vale lembrar que um negócio escalável também passa por uma fase de otimização, que é o conceito focado em enxugar o funcionamento de uma empresa, examinando gastos, cortando desperdícios e eliminando a ociosidade.

Sendo assim, a otimização acaba sendo uma etapa inevitável até a conquista da escalabilidade. Afinal de contas, é disso que se trata esse conceito: atingir o máximo de eficiência, aumentando clientes, vendas, projetos e afins, sem expandir os gastos da operação de maneira expressiva.

Como escalar seu negócio?

Para facilitar a compreensão dessas etapas, posicionamos as orientações de maneira ordenada, sugerindo como cada um desses eventos tendem a acontecer em seu negócio. Veja!

1. Planejamento

Objetivos exigem um direcionamento claro! Sendo assim, você precisa elaborar um plano de crescimento para a sua empresa em que possa apontar a taxa de crescimento estimada e os passos até essa conquista. Sem uma lista de etapas e medidas práticas, o negócio estará contando apenas com a aleatoriedade do mercado para que se atinja a meta desejada. Portanto, o planejamento deve incluir:

  • objetivo final em alguma métrica clara, como crescimento percentual em vendas, projetos, clientes e afins;
  • etapas e práticas que serão tomadas ao longo do ano para alcançar a meta;
  • decisões acertadas na contratação de novos colaboradores;
  • gerenciamento de recursos focado em otimização.

2. Monitoramento

Aqui, chegamos em uma fase importante: a capacidade de monitorar o desempenho do seu time, identificando ociosidades, corrigindo erros e revertendo decisões equivocadas. Para tanto, você pode recorrer às famosas métricas KPI, observando recursos:

  • temporais — finalização de tarefas, espera em linha, durante chamadas, durante saídas;
  • humanos— colaboradores ociosos ou sobrecarregados, necessidade de contratação estratégica nos setores sobrecarregados;
  • financeiros — ticket médio, taxa de inadimplentes, prazo de recebimento;
  • operacionais — captação de clientes, conversão de leads e afins.

De maneira geral, é importante que você entenda o valor estratégico de monitorar a performance da sua operação. Afinal de contas, essa é uma prática que entrega a oportunidade de reagir de maneira inteligente e ágil, reconhecendo e corrigindo direcionamentos equivocados, sem arcar com grandes prejuízos.

3. Comunicação

Esse fator precisa ser polido em duas esferas: clientela e empresarial. Ser uma operação em larga escala significa ter a capacidade de suportar a alta demanda ocasionada pelo maior número de clientes. Por isso, é nesse momento que você deve investir em boas soluções de contato com o seu público, priorizando as alternativas mais eficientes em custo-benefício a um primeiro momento.

Para além disso, você precisa ter um bom trânsito no meio empresarial. Afinal, contar com um networking sólido pode garantir boas parcerias, que reduzam os custos de algum serviço terceirizado. O bom relacionamento nesse universo é fundamental para um crescimento alavancado.

Por fim, ainda vale lembrar da importância de se preparar financeiramente para a expansão. Como você perceberá ao final da jornada, a empresa terá alcançado um gargalo, estando limitada às condições atuais de operacionalidade. É nesse momento que você deverá injetar recursos, aumentando a força de trabalho e o espaço físico. Com isso, um novo ciclo de escalabilidade se inicia.

Gostou deste conteúdo elencando dicas de como escalar seu negócio? Então, não perca a chance de receber nossas atualizações diretamente em sua timeline. Acesse e curta a nossa página no Facebook!

Luís Montanari
Autor

Líder dos times de Vendas e Marketing da ADDEE e pai de duas lindas meninas. Graduado em Comunicação Social e apaixonado por vendas, política, tecnologia e cervejas. Trabalhando para transformar Empresas de Suporte em verdadeiros MSPs!

Escreva um comentário

Share This