A tecnologia tem se tornado cada vez mais indispensável dentro das organizações. Assim sendo, o risco de exposição e perda de dados aumenta, uma vez que tudo está armazenado no virtual. Dentro desse cenário, o tema segurança da informação vem crescendo.

Os clientes buscam fechar acordos com prestadores de serviços de TI gerenciados que tenham a capacidade de assegurar a proteção e a continuidade de seus negócios em qualquer tipo de evento que possa vir a ocorrer.

Com isso, o papel dos MSPs passa a ser fundamental para garantir a segurança dos dados de seus clientes, evitar perda ou roubo de dados e manter a disponibilidade dos serviços. Continue a leitura e confira algumas das melhores práticas para isso!

Camadas de segurança

Antes mesmo de falar sobre as boas práticas a serem utilizadas na proteção da informação, convém mencionarmos as camadas de segurança. Isso porque essa abordagem, que divide as ações por elementos, garante uma melhor defesa contra eventos adversos como ataques. Entre as camadas, podemos destacar:

  • DNS — serviço de nomes de domínio que funciona como uma agenda no auxílio na busca por sites. É preciso escolher um serviço seguro;
  • firewall — filtro entre a rede interna e a externa que decide o que pode entrar ou sair;
  • rede — camada de comunicação interna que deve ser constantemente monitorada;
  • dispositivos — cada uma das máquinas com poder de comunicação e ligadas na rede;
  • usuários — todas as pessoas com acesso permitido à rede. Muitas vezes, são responsáveis pela entrada de boa parte das ameaças e caracterizam-se por ser uma das camadas mais complicadas de gerenciar;
  • aplicações — todos os softwares utilizados dentro do ambiente de TI de seu cliente;
  • dados — referem-se às informações geradas ou coletadas e são o alvo principal de muitos ataques realizados por cibercriminosos.

Boas práticas de segurança da informação

Os prestadores de serviços de TI gerenciados devem focar seus esforços principalmente no monitoramento e na antecipação de problemas, diferentemente de um modelo break-fix, que apenas age após o surgimento de adversidades. A seguir, acompanhe algumas das melhores práticas.

Atualização constante

O MSP deve ter um inventário completo de todos os ativos de software e hardware de seus clientes para que possa realizar o controle das atualizações necessárias a cada um deles. É preciso lembrar que, caso qualquer um dos elementos que compõem o ambiente de TI não seja inventariado e controlado, ele se tornará um ponto vulnerável à segurança como um todo.

Monitoramento e identificação de vulnerabilidades

O inventário também permitirá um monitoramento constante de todo o ambiente de TI de seu cliente em busca de possíveis vulnerabilidades que possam ser utilizadas como porta de entrada por cibercriminosos.

Para uma abordagem eficiente, um MSP pode fazer uso de um RMM, ou seja, um Sistema de Monitoramento Remoto — software específico para serviços gerenciados que permite controlar remotamente os ativos de TI de seu cliente.

Utilização de assinatura digital e biometria

Muitas empresas estão adotando o BYOD (Bring Your Own Device), permitindo que usuários utilizem seus dispositivos pessoais no ambiente da empresa — o que torna o trabalho de controle do MSP muito mais complicado. Em um ambiente como esse, aplicar soluções como biometria e assinatura digital é fundamental para garantir autenticidade de quem envia informações e controle de acesso.

Realização de backups

As cópias de segurança, também conhecidas como backups, são as rotinas mais importantes dentro de uma estratégia de segurança da informação, pois é por meio delas que a continuidade dos serviços e a disponibilidade de informações serão asseguradas.

No caso de roubo, perda ou destruição dos dados originais, as cópias podem ser restauradas para manter as funcionalidades do cliente e evitar paradas que possam resultar em prejuízos financeiros e de imagem.

O ideal é que os backups sejam realizados de forma periódica, dividindo todo o ambiente do cliente em partes e classificando cada uma delas de acordo com sua prioridade. Por exemplo, dados sensíveis deverão ter um controle muito maior que os demais.

No geral, as cópias de segurança devem ser realizadas seguindo o conceito 3X2X1. Basicamente, ele consiste em manter 3 cópias dos dados (original, backup local ou HD externo ou NAS e backup em nuvem), utilizar 2 tipos de armazenamento (como disco local e data center) e ter, no mínimo, 1 cópia fora do ambiente original, em um servidor externo.

Contudo, não basta planejar bem apenas a criação de cópias de segurança. A restauração dos dados é de suma relevância, na medida em que, algumas vezes, pode ser que o backup esteja corrompido, inviabilizando o processo e fazendo com que seu cliente fique descoberto.

Criação de políticas de segurança

Um dos pontos mais sensíveis dentro de qualquer organização e principal porta de entrada utilizada pelos hackers são os usuários, seja por escassez de cuidado, seja por falta de conhecimento por parte deles. Por conta disso, a criação de uma política de segurança é crucial para garantir que o trabalho de segurança da informação de um MSP possa ser realizado com eficiência.

Vale ressaltar que a política de segurança nada mais é que um documento elaborado por você, como responsável pela TI de seu cliente, com as diretrizes comportamentais para todos os colaboradores que utilizam os ativos tecnológicos da empresa. Nesse documento, devem constar as regras para acesso e utilização de todos os recursos de tecnologia da informação, visando minimizar riscos inerentes ao mau uso.

A importância da segurança da informação

Alguns prestadores de serviços gerenciados de TI acabam por negligenciar a segurança da informação valendo-se da ideia “isso nunca vai acontecer conosco”. Contudo, invasões e roubos de informações são comuns e podem atingir qualquer um, independentemente do ramo de atuação ou tamanho organizacional.

Temos exemplos de grandes empresas — como Sony, Equifax, Netshoes, entre vários outros — em que elas foram prejudicadas financeiramente e tiveram sua imagem abalada no mercado.

Você, como prestador de serviços gerenciados e responsável pela segurança da informação de seus clientes, pode ser altamente afetado por conta de um ataque como esse, vindo, até mesmo, a perder espaço no mercado ou finalizar as suas operações.

Por conta disso, é preciso constantemente investir em segurança da informação, realizando todas as boas práticas e mantendo um monitoramento constante sobre os ativos de seus clientes.

Gostou deste post? Pois saiba que isso não é tudo! Aproveite que está por aqui e confira mais informações relevantes sobre segurança da informação neste outro artigo. Boa leitura!

Rodrigo Gazola
Autor

Com muitos anos de experiencia em TI, trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, dá aula sobre excelência em workaholic. Apesar de ser especialista em MSP, adora quando o assunto é backup. Rodrigo esbanja bom humor (diz a lenda que seu segredo é cerveja, churrasco e Rock'N'Roll) e é o mais ativo daqui, já até pensou em rodar o mundo em cima da sua bike.

Escreva um comentário

Share This