fbpx

Para as empresas, a rotina de backup é fundamental à proteção dos dados. Porém, o ponto mais importante e, muitas vezes, ignorado, é o restore dessas informações. Pois veja, o principal objetivo do backup é salvaguardar a informação e poder utilizá-la novamente — especialmente mediante imprevistos, com a falha de servidores, ataques de cibercriminosos ou, até mesmo, algum evento natural que possa danificar a estrutura física de armazenamento.

Por conta disso, o restore de dados é uma parte fundamental ao funcionamento do sistema de backup, sendo crucial para a utilização dos arquivos recuperados e, assim, garantindo a continuidade dos negócios daquela empresa. Então, elaboramos este post em que mergulhamos no tema e ajudamos você a realizar essa verificação. Acompanhe!

O conceito do restore de dados

rotina de backup é composta por duas etapas muito importantes. A primeira é quando os dados são copiados de forma seletiva para, então, serem armazenados em um espaço seguro. Já o segundo momento acontece quando é necessário retornar esses dados para seu dispositivo de origem ou qualquer outro. Isto é: enquanto a primeira etapa armazena e protege, a segunda recupera e transfere.

O restore é a ação de recuperar os dados armazenados em determinado dispositivo durante a rotina de backup, garantindo que todas as informações gravadas estejam intactas. Muitos prestadores de serviços em TI vendem o backup apenas como uma cópia de segurança, porém não estão preparados para realizar a restauração desses dados no caso de isso ser solicitado pelo cliente.

Como você pode imaginar, esse é um grande problema, pois tende a provocar uma experiência bastante negativa ao consumidor. Isso porque, no geral, o cliente espera que seus dados estejam não apenas seguros e armazenados da forma ideal, mas, principalmente, que sejam acessíveis ao momento de emergência, garantindo a recuperação do negócio em pouquíssimo tempo e, com isso, minimizando as perdas.

O momento em que o restore mais importa

Antes de tudo, é importante perceber que a relação entre a rotina de backup e o restore é intrínseca. Por conta disso, a única forma de garantir que os dados serão restaurados é por meio da realização das cópias de segurança. No entanto, apenas isso não basta!

Imagine o seguinte cenário: você fornece uma solução de backup para um cliente que vende ingressos na web e, em determinado momento, o servidor dele falha. Imediatamente, ele realiza a contratação de um novo servidor em nuvem, pois é necessário pôr o sistema de tickets no ar novamente.

Quando ele o questiona sobre o backup, você responde dizendo que as cópias levarão mais de um dia para serem restauradas ou, no pior dos cenários, que elas estão corrompidas e não poderão ser utilizadas. Nesse caso, você não dá alternativa ao cliente que não seja a de pensar mal sobre o seu serviço, pois estará causando prejuízo em qualquer dos cenários, seja pela demora ou pela incapacidade de recuperar seus arquivos.

Uma situação como essa pode gerar um prejuízo enorme e, possivelmente, levar ao fechamento da empresa do cliente. Sem falar que o prestador de serviço terá sua reputação manchada e, provavelmente, sofrerá com a contrapropaganda gerada pelo cliente insatisfeito, que pode utilizar das avaliações do Google e Facebook para expor essa situação.

Por conta disso, o restore de dados é crucial em qualquer estratégia de TI e não se pode vender um serviço de backup no qual a restauração de dados não seja eficiente, já que ele não poderá ser utilizado de forma apropriada quando necessário.

A maneira de implementar o backup e o restore

Um erro comum entre os prestadores de serviços é o conceito de que a rotina de backup e o restore de dados podem ser alcançados por meio de um produto, uma ferramenta ou, até mesmo, uma tecnologia.

Contudo, para que as cópias criadas sejam eficientes e possam ser restauradas em tempo hábil, é preciso investir em processos, monitorando constantemente as rotinas, gerenciando as cópias de backup e coletando informações para análise.

Então, é preciso desenvolver uma expertise em toda a rotina de backup e os pontos que a formam, de modo a garantir que o cliente final possa ter acesso às suas cópias de segurança com a qualidade que necessita. Os prestadores de serviços de TI devem entender que a rotina de backup e o restore de dados são muito mais que realizar apenas uma cópia de informações.

É preciso interpretar a rotina como uma gestão completa de todo o processo, com verificações e validações diversas, além de testes de restauração frequentes. Por exemplo, é preciso garantir que alterações significativas sejam armazenadas em cópias. Entretanto, ao mesmo tempo, deve-se tomar cuidado com o que é salvo para não comprometer o backup com informações irrelevantes.

A forma de garantir que backup e restore sejam realizados corretamente

A palavra-chave aqui é monitoramento. É preciso não apenas manter um olhar constante sobre as rotinas de backup, mas também realizar testes periódicos para garantir a eficiência do sistema. No fim das contas, apenas com um acompanhamento próximo e minucioso você conseguirá atingir a excelência no gerenciamento de dados dos seus clientes.

Como exemplo, podemos retornar ao cenário do sistema de ingressos. Na situação em que o prestador de serviços tivesse realizado algum teste de restore, ele poderia ter verificado que o tempo necessário para a restauração seria muito longo. Ciente dessa informação, o analista poderia elaborar estratégias para contornar essa vulnerabilidade, sem deixar que o problema ocorresse subitamente.

Nesse caso, alternativas poderiam ser criadas para otimizar as rotinas e garantir a continuidade da operação do cliente sem maiores problemas. Isso poderia ser alcançado por meio da criação de backups enxutos e, com o mínimo necessário para o funcionamento do sistema, máquinas virtuais que podem ser utilizadas como apoio, entre outras soluções.

De certo modo, a tecnologia é uma parte determinante no sucesso dos serviços prestados ao consumidor, tanto em soluções de software quanto hardware. Apesar disso, ela sozinha não basta para garantir a segurança e agilidade no momento de recuperar e manusear esses dados. É nesse momento que, tanto você como a sua equipe, precisam entrar em ação, aplicando estratégia e planejamento para evitar os cenários de lentidão ou perda total ao cliente.

A definição de uma rotina de backup

Alguns pontos devem ser levados em consideração na hora de definir a rotina de backup ideal para o seu cliente. Nem todas as empresas poderão utilizar os mesmos modelos, pois cada uma delas conta com demandas diferentes. Por isso, confira a seguir os pontos mais relevantes na estruturação de um plano de backup. Acompanhe!

Volume de dados

Aqui, não existem segredos. O tempo necessário para a criação e o restore de uma cópia de segurança é proporcional à quantidade de dados trabalhados. Afinal de contas, essa é uma questão limitada à capacidade operacional e técnica dos dispositivos e sistemas utilizados, em que se deve considerar a velocidade de deslocamento dos HDs, SSDs, velocidade de download e upload e afins.

Seja como for, conhecer essas especificações intimamente é fundamental para reconhecer o tempo de trabalho, tanto para proteger como para recuperar. Obviamente, existem soluções tecnológicas como a True Delta — exclusive ao software da SolarWinds — que é capaz de atualizar as cópias de segurança sempre que um arquivo é alterado.

Com isso, a empresa sempre contará com o ponto de restauração mais recente possível, pois o sistema estará constantemente atualizando a cópia de segurança. Além disso, a elegância dessa função está no baixo consumo de processamento e rede, pois como atualiza os arquivos individualmente conforme são alterados, acaba não exigindo muitos recursos computacionais para a tarefa. O máximo de segurança, com o máximo de eficiência.

Relevância dos dados

Toda e qualquer interação gera dados, porém nem todas as alterações têm relevância para a continuidade das operações dos seus clientes. Nesse caso, é interessante segmentar quais são as entradas mais importantes nas máquinas e servidores.

Com isso, você garante uma seletividade maior dos arquivos constantemente atualizados e refina a sua estratégia de backups periódicos, realizando os completos em intervalos maiores e permitindo que os arquivos cruciais sejam frequentemente renovados sobre a cópia de segurança. Mais uma vez, batemos na tecla da tecnologia True Delta, que faz tudo isso parecer mágica com a utilização do SolarWinds RMM.

Segurança dos dados

Existe um conceito teórico bem interessante sobre a estruturação do backup de uma empresa. Basicamente, recomenda-se a disponibilização do backup por meio da Regra 3-2-1:

  • são 3 cópias de segurança;
  • distribuídas em pelo menos 2 tipos de armazenamento diferentes;
  • e com 1 delas fora do perímetro da empresa.

É fácil entender a lógica desse conceito, pois em um primeiro momento, ele recomenda uma rotina de precaução básica, com plano A, B e C — as três cópias de segurança. Depois, a regra sugere uma nova camada de precaução, recomendando o armazenamento em 2 formatos diferentes, que podem alternar entre mídias físicas (HDs e SSDs) ou virtuais, em serviços de cloud.

Por fim, o conceito ainda considera as catástrofes naturais ou eventuais que possam vulnerabilizar o armazenamento físico por meio de incêndios, enchentes, quedas de energia ou afins, recomendando que uma das cópias fique fora da empresa. Como pode ver, a regrinha aposta na simplicidade e logra em eficiência.

Inclusive, aqui vale ressaltar que a ADDEE fornece tecnologia para backup e restore de dados com toda a segurança necessária e monitoramento integrado, permitindo entregar o melhor serviço aos seus clientes e possibilitando que eles utilizem as melhores práticas técnicas.

Gostou deste artigo esclarecendo a importância do restore de dados às empresas? Então não perca a chance de oferecer os melhores serviços aos seus clientes! Entre em contato conosco agora mesmo e veja o que nossos consultores podem fazer para melhorar os serviços de TI da sua empresa!


Rodrigo Gazola
Autor

Com muitos anos de experiencia em TI, trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, dá aula sobre excelência em workaholic. Apesar de ser especialista em MSP, adora quando o assunto é backup. Rodrigo esbanja bom humor (diz a lenda que seu segredo é cerveja, churrasco e Rock'N'Roll) e é o mais ativo daqui, já até pensou em rodar o mundo em cima da sua bike.

Escreva um comentário

Share This