fbpx

Ao contrário do que muita gente imagina, nem sempre o aumento de receita significa mais lucratividade para uma empresa ou um prestador de serviços. Isso acontece porque na maioria das vezes esse aumento é acompanhado de custos que são proporcionais à receita, o que ocasiona um “empate”.

Para que haja um aumento de lucratividade é preciso aumentar a produtividade sem elevar os custos, e a melhor maneira de conseguir isso é com a automação de tarefas burocráticas e repetitivas.

Esse é o primeiro de muitos passos para que a sua empresa comece a controlar os custos, melhorar a eficiência operacional e começar a ganhar mercado, expandindo a cartela de clientes. Quer mais dicas sobre como aumentar a lucratividade da empresa? Então continue a leitura deste post!

Lucratividade e lucro são sinônimos?

Podemos resumir o conceito de lucro como o saldo positivo de uma empresa depois de descontar todos os gastos.

Já a lucratividade é uma relação entre o montante do lucro e o total de vendas. Ficou confuso? Não se preocupe! A seguir você verá um exemplo de como é feito o cálculo da lucratividade.

Como calcular a lucratividade

Já sabemos que a lucratividade representa o ganho sobre uma venda ou um trabalho desenvolvido. Vamos a um exemplo claro para que você entenda esse cálculo.

Se a sua empresa tiver uma receita mensal de R$ 23 mil e um lucro liquido de R$ 5 mil, logo:

  • Lucratividade = (lucro líquido/ receita total) x 100
  • Lucratividade = (5.000 / 23.000) x 100
  • Lucratividade = 0,22 x 100 
  • Lucratividade = 22% ao mês

Você pode utilizar essa fórmula para o período que desejar — mensal, anual, bimestral etc.

Como aumentar a lucratividade da empresa de forma prática?

Quando há uma queda de lucratividade, geralmente a primeira reação dos empreendedores é buscar pontos em que é possível fazer uma redução de gastos. No entanto, se a estratégia é aumentar a lucratividade, reduzir a estrutura pode ser uma atitude negativa — ou no mínimo manter o negócio estagnado.

Quando falamos em médias e pequenas empresas, essa redução de custos pode significar queda na qualidade ou na agilidade do serviço prestado, o que pode ser fatal com a concorrência acirrada no setor de TI.

Como falamos na introdução, a automação de processos é o primeiro passo para o aumento da produtividade, mas é preciso tomar outras medidas que envolvem todos os setores da empresa. Confira a seguir quais são.

Organize as finanças

A primeira dica não poderia ser outra, não é? Uma empresa ou um prestador de serviços que não tem pleno conhecimento de como andam as suas finanças dificilmente conseguirá colocar a “casa” em ordem. Sendo assim, reveja os contratos de prestação de serviços que a sua empresa tem com terceiros — em marketing, publicidade, infraestrutura e outros que afetem diretamente as finanças.

Um simples remanejamento de recursos pode gerar um bom efeito na sua margem de lucros, desde que não cause perda na qualidade do serviço ou da produtividade da equipe. Por isso, o remanejamento de gastos deve ser seguido de um acompanhamento dos indicadores de qualidade e desempenho.

Foque no que importa

Como vimos mais acima, uma das primeiras reações em tempos difíceis é buscar meios de reduzir gastos. Esse tempo precioso que é gasto analisando em que área os cortes serão empregados e como isso será feito seria melhor utilizado em análises de mercado, estratégias de expansão da cartela de clientes, análises de áreas em que é possível automatizar etc.

Foque no que importa. Se você quer aumentar a lucratividade, o foco deve ser sempre aumentar a produtividade sem gastar mais do que tem, então parta dessa premissa.

Fidelize e aumente a base de clientes

A fidelização dos clientes é primordial para que você não perca lucratividade, pois são os consumidores ativos que mantêm a empresa e dão a oportunidade para haja tempo hábil para traçar estratégias de crescimento.

A melhor forma de fidelizar um cliente na área de TI é prestando um serviço proativo e automatizado, que evite problemas em vez de ficar “apagando incêndios”, trabalhando de modo reativo. Você tem que aparecer antes do problema acontecer e oferecer mais disponibilidade e produtividade ao cliente, garantindo a satisfação dele.



Além disso, a fidelização dos clientes atuais é o primeiro passo para o aumento da cartela, pois um cliente satisfeito divulgará de forma espontânea os seus serviços/produtos, e a propaganda boca a boca é uma das mais eficientes, pois é baseada na confiança.

Por meio da análise dos clientes atuais, bem como seus anseios e problemas, a empresa poderá criar campanhas de marketing para atrair novos consumidores e aumentar a cartela de clientes. Isso acontece por meio da prospecção de leads (potenciais clientes), que você poderá trabalhar para que se tornem consumidores ativos.

Atente-se à precificação

Muita das vezes o problema de lucratividade está relacionado à precificação do produto ou serviço. Esse problema pode estar atrelado a um cálculo equivocado do valor do tempo de trabalho e gastos com produção. Algumas vezes esse problema está relacionado a uma defasagem do preço por falta de reajustes.

Não tenha medo de perder o cliente. Sempre que precisar fazer um ajuste, converse com ele e explique os pontos que serão afetados caso as alterações não sejam feitas. Mostre que uma readequação de preço garantirá a boa execução do trabalho.

Pense no longo prazo

Não seja impaciente. Às vezes os resultados demoram mais do que o planejado para chegar, mas o importante é que haja uma evolução contínua. A ansiedade por resultados pode gerar reflexos negativos, como mudanças bruscas de estratégias e tomadas de decisão sem muito embasamento ou razão — o que pode afetar não só o aumento da lucratividade, mas causar prejuízos no curto prazo.

Elabore um planejamento estratégico e defina um prazo flexível, pois isso faz toda a diferença. Para que a ansiedade não prevaleça, divida o planejamento em metas menores, com prazos individuais, e acompanhe sempre as métricas de crescimento.

Mais do que saber como aumentar a lucratividade da empresa, é necessário não perder as movimentações do mercado. Verifique se o seu modelo de trabalho é adequado ao momento atual, pense mais proativamente e menos reativamente. Não apareça quando os problemas já tiverem acontecido, evite-os!

Gostou do post? Então curta a nossa página do Facebook e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Rodrigo Gazola
Autor

Com muitos anos de experiencia em TI, trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, dá aula sobre excelência em workaholic. Apesar de ser especialista em MSP, adora quando o assunto é backup. Rodrigo esbanja bom humor (diz a lenda que seu segredo é cerveja, churrasco e Rock'N'Roll) e é o mais ativo daqui, já até pensou em rodar o mundo em cima da sua bike.

Escreva um comentário

Share This