fbpx

Já faz algum tempo que a computação em nuvem deixou de ser uma tendência e se tornou parte do dia a dia de pessoas e empresas. A tecnologia transformou as relações pessoais e profissionais e virou uma das protagonistas da transformação digital nas corporações, junto com o aumento da capacidade da internet — principal impulsionadora da tecnologia.

Esse crescimento iniciou uma nova era para a gestão de TI com uma simplificação das infraestruturas físicas e redução nos quadros de funcionários. Tal mudança obrigou profissionais e prestadores de serviço de TI a se adaptar, sair da zona de conforto do suporte clássico e entender a necessidade de encarar essa nova realidade para não ser absorvido pelos concorrentes.

Para você entender melhor essas transformações e como adaptar o seu serviço nesse novo momento apresentamos este texto. Além do conceito de cloud computing, você entenderá melhor a relação entre o suporte de TI e essa tecnologia revolucionária. Confira!

O que é cloud computing?

Cloud computing — computação em nuvem — é definido como uma forma de distribuição de serviços computacionais de forma remota, com hospedagem descentralizada. Daí a nomenclatura “nuvem”. Os contratantes podem acessar os serviços por meio de uma interface web ou software, com qualquer dispositivo conectado a internet.

Basicamente, todo serviço de TI pode ser virtualizado na nuvem — servidores, banco de dados, redes, softwares, análises armazenamento, entre outros. A tecnologia propicia recursos flexíveis, economia e possibilidade de manter os dados e sistemas de uma empresa em uma infraestrutura atualizada e moderna.

Uma das grandes vantagens da computação em nuvem para as empresas é a possibilidade de pagar pelo que realmente é utilizado. Outro benefício é ter a possibilidade de escalar de forma simples, apenas com um plano maior e sem a necessidade de replanejamento de estrutura, compra de equipamentos e contratação de pessoal.

Existem três tipos de nuvem. Veja quais são eles:

  • pública: pertence a um provedor comercial que administra e fornece os serviços de computação, como armazenamento e servidores;
  • privada: como o próprio nome sugere, os recursos do cloud computing são de propriedade de uma empresa e utilizados exclusivamente por ela. Pode ser interna, ou seja, estar localizada no datacenter da empresa;
  • híbrida: é a combinação das duas soluções citadas acima e permite o compartilhamento de dados entre elas.

Como é a relação entre cloud computing e TI?

A computação em nuvem tem como uma das principais características a capacidade de se adaptar aos mais variados tipos de negócios. As soluções são extremamente versáteis, com alta performance e flexibilidade, o que favorece essa adaptação e integração.

No TI, o cloud computing aparece como uma possibilidade de reduzir custos com infraestrutura e manutenção. A mobilidade e acessibilidade é outro fator que ajuda na adoção da cloud computing. A possibilidade de acessar sistemas de qualquer local e em qualquer dispositivo abre uma janela para a produtividade e possibilidade de trabalho remoto.

O SaaS — Software as a Service ou Software Como Serviço, em tradução livre — é um bom exemplo de como as empresas executam os sistemas em nuvem e reduzem custos com licenciamentos, além de aumentar a possibilidade de escalabilidade otimizada. A solução também garante à empresa operação sempre com a versão atualizada do software.

O que muda com a era do cloud computing?

O trabalho de suporte e de atualização da infraestrutura fica a cargo do provedor, e o serviço passa a ser mais específico. Isso vai atender a demandas pontuais, como disponibilidade de conexão — a locomotiva para o bom funcionamento da computação em nuvem na empresa — e, é claro, a segurança da informação.

Cabe ao fornecedor de TI garantir que todas as unidades envolvidas no processo corporativo — filiais, terceirizadas, departamentos etc. — possam acessar a infraestrutura hospedada na nuvem sem entraves, e os dados sejam transferidos de forma segura. Na maioria das vezes, isso se dará por meio de uma rede híbrida, e o MSP deve estar preparado para atender essa demanda.

A segurança de dados precisa de uma atenção especial. É necessário haver uma definição precisa dos profissionais com a chave de acesso aos sistemas. Com a facilidade de mobilidade e acessibilidade e hospedagem externa, é necessário um controle rigoroso em relação de autorizações de imputação, de modificações e de transporte das informações.

Quais vantagens em ser um profissional de cloud computing?

Os profissionais de TI colocavam a especialização em cloud computing como um diferencial no catálogo de serviços até pouco tempo atrás. Hoje, podemos dizer que não se trata mais de um diferencial, mas de uma obrigação.

Para ser um MSP que atenda o mercado com qualidade e excelência, você deverá saber lidar com o cloud computing. É importante que o fornecedor de TI entenda como a computação em nuvem apresenta vantagens para ele e para o cliente, e cabe ao MSP explicar essas vantagens.

Quando o profissional entende isso, fica muito mais fácil fidelizar o cliente, pois o MSP entregará um serviço de qualidade e com menos incidentes. Isso é bom para os dois lados. O cliente terá menos paradas e perdas produtivas, e o fornecedor de TI mais tempo disponível para atender outros clientes e ganhar mais dinheiro.

Como os profissionais podem se preparar para esse cenário?

Não há muito como fugir do método clássico de preparação profissional, que requer conhecimento técnico e prática. No caso do MSP, ele deve entender o funcionamento do cloud computing e saber definir como o cliente pode tirar proveito disso. Dessa forma, ele terá embasamento para apresentar os benefícios, os custos envolvidos e os métodos de implementação e de gerenciamento.

O MSP deverá entender como transformar isso em um serviço do ponto de vista comercial. Por isso, é tão importante esquecer a visão extremamente tradicional de venda de produtos e ficar 100% alinhado ao conceito de cloud computing.

O desafio será responder duas perguntas básicas: como precificar esse novo serviço e como ganhar dinheiro com a computação em nuvem. Por isso, a importância de buscar conhecimento.

Existem inúmeros materiais gratuitos e cursos pagos para ajudar o prestador de serviços a atingir esse objetivo. Eventos e palestras favorecem a criação de networkinge a troca de ideias sobre a tecnologia, que pode gerar insights preciosos sobre precificação e aplicação de novos métodos de trabalho em relação a computação em nuvem.

Outro ponto importante, é conhecer as tecnologias ligadas à computação em nuvem e que sustentam as mudanças da transformação digital nas empresas, como o Big Data, a Internet das Coisas e a Inteligência Artificial.

A computação em nuvem veio pra ficar, Não há mais como fugir das virtualizações, que já atingiram suporte de TI, além de setores como o de entretenimento e de serviços. Caberá aos profissionais inovar e se adaptar para se recolocar como agente importante para a fluidez dessa nova tecnologia.

Gostou do post? Quer saber como se preparar para prestar o melhor serviço de suporte no cloud computing? Então, entre em contato com a gente!

Rodrigo Gazola
Autor

Com muitos anos de experiencia em TI, trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, dá aula sobre excelência em workaholic. Apesar de ser especialista em MSP, adora quando o assunto é backup. Rodrigo esbanja bom humor (diz a lenda que seu segredo é cerveja, churrasco e Rock'N'Roll) e é o mais ativo daqui, já até pensou em rodar o mundo em cima da sua bike.

Escreva um comentário

Share This